Foto texto

Futura Light é uma apreciada fonte inspirada em elementos do design de Bauhaus. Ideal para títulos, banners e logos, suas palavras vão ganhar destaque.

Exemplos

Jaiara

Jay é mais do que um nome ou um apelido, é um invocação de forças, uma expressão uterina, uma vontade felina... Jay é um chamado à vida... à vida que canta, que dança e que se agiganta... um convite verdadeiro e inteiro à esperança que acontece para além das prisões, das leis, das abstrações... Jay é o que vibra, o que arde, o que arrepia... Jay é um ato de coragem, é uma travessia, o desabrochar da alegria... Jay é o que principia, uma magia sem partidas nem chegadas, tendo no êxtase a sua morada... Jay é palavra bendita, chave que abre tantas portas, o que de muito importa... Jay é o que nasce nas entranhas do coração, tocando magicamente as cordas vocais e deixando na boca uma sensação adocicada e de repente de quero sempre mais... Jay é o grito que liberta, o amor sempre alerta e a palavra certa que encontro o mundo dos sonhos para além de curvas e retas... Jay é um suspiro, um sopro, um corpo musical... uma identidade transcendental... Jay é um pedido de paz, um ditame do amor demais, um conclame do barco ao encontro do cais... Jay é chama que se renova, é terra nova, nascimento do renascimento contínuo e irrestrito... Jay é o bonito, o belo e o bom num mesmo tom... Jay é a balada da criação, o som que chacoalha a árvore da inspiração.... Jay é a vida que não para... Jay, Jay, Jaiara...

Eu sou brisa e tempestade, delicada e arretada, dona de uma forte personalidade. Sou menina-boneca, garota-bailarina e sou mulher, uma mulher que sabe muito bem o que quer. Eu quero ser feliz, ser livre como um pássaro e fazer o meu caminho passo por passo sendo quem sou. Sou intensa e propensa a viver de sonho em sonho, tenho alma de borboleta e a coragem de uma loba. Sou sol e lua numa mesma face. A cada dia, nasço, cresço e floresço em pétalas de mocidade. Cultivo um jardim secreto de estrelas nos confins dos meus olhos sem fim. Sou colombina e arlequina, doce e misteriosa, singela e majestosa. De fato, não fui feita para viver em porta-retratos, mas caminhando aos quatro ventos, velejando pelos sete mares, flutuando no quinto céu. Nasci para estrelar o papel principal da minha vida e disso não abro mão. O meu roteiro sou eu quem faço, passo por passo, batida por batida do meu coração, que não é de aço. Eu sou de carne e encanto, de fragrâncias e bonanças, de jeitos e trejeitos, metade boneca metade humana, dama que se ama. Podem olhar à vontade e até mesmo aplaudir porque se eu já sou o que sou agora, imaginem o que ainda está por vir! Entre a bela e a fera, eu sou o desabrochar da primavera!

Jamilly

Maíra Lanny

"Sou arte. Sou romântica, moderna, contemporânea, vanguarda. Manifestação viva de vários estilos que experimento pelo caminho. Portanto, sou estilosa. Tenho a minha identidade, a minha marca, o meu brilho próprio. Eu sou criação da minha mente, afinal, sou o que penso. E eu me curto assim, artística. Não nasci para viver presa num quadro, num museu ou num livro. Sou arte das ruas e da natureza, livre e dinâmica, com certeza. O meu coração está pichado nos muros, cantado sob as árvores, escrito nas areias das praias, solto nos parques, declamado a céu aberto, indo e vindo com as ondas do mar. Eu pulso o que me pulsa. A emoção me impulsa. Sou feita de pinturas, de músicas, de desenhos, de esculturas, de danças, de cenas, de textos e pretextos que falam de amor. Sou arte, sou luz, sou vida manifesta. Sou o florescer da beleza que perfuma o mundo de atitude e delicadeza"